SAIBA como Joesley fez a gravação contra Temer

Passava pouco das 22h30 no momento em que o empresário Joesley Batista chegou ao Palácio do Jaburu , a apartamento oficial de Michel Temer .
Era 7 de março deste ano.
Ao passar pelo abrigo de segurança, o acionista do grupo JBS ouvia notícias no rádio do automóvel. O abridor, absconso no bolso, já aparecia relacionado e registrava tudo.
O administrador de empresa não foi importunado pela segurança e nem sequer precisou se identificar, como de atividade – o staff presidencial, aparentemente, já aparecia aconselhável do encontro acanhado.
Em poucos minutos, Joesley aparecia perante de Michel.
A gravação foi divulgada nesta quinta-feira pelo Supremo Tribunal Federal depois de o auxiliar Edson Fachin adiar o carimbo do caso revela um abocamento aberto entre o presidente e o administrador de empresa.
Os 2 conversam abertamente sobre conteúdos espinhosos.
Temer ouve Joesley abordar com amenidade sobre o que aparecia fazendo para se livrar de investigações de que é alvo, em mais de uma vez, o presidente chega a abençoar as atitudes.
E é informado das iniciativas para abaixar o ex-deputado Eduardo Cunha e o agente de mercado Lúcio Funaro, que, presos, ameaçavam realizar um acordo de delação premiada com a Lava Jato capaz de abalar muita gente, até mesmo o próprio Achar e mais integrantes da abóbada do PMDB.
Depois de começarem a conversa tratando das atitudes econômicas adotadas por Michel Temer a partir de que assumiu o Altiplano, Joesley indaga o presidente sobre como aparecia a correlação dele com Eduardo Cunha. “Queria saber como está…”, diz.
Temer se aborrece da postura do ex-deputado, que já havia dado vestígios públicos de que conserva segredos capazes de abalar Temer . “Eduardo tentou me fustigar”, diz o presidente.
Joesley, por isso, dá um análise que aparecia fazendo em benefício de Bujão – em outras palavras, dos acertos que fizera para garantir o atenção do ex-deputado. Ele diz que “zerou” as pendências que tinha com Eduardo Cunha.
“Dentro do possível, eu fiz o que deu. Zerei tudo”, diz Joesley.

SAIBA como Joesley fez a gravação contra Temer

Ele cita similarmente o “colega” de Cunha, informações a Lúcio Funaro, parceiro de serviços do ex-deputado encarcerado em Brasília a partir de o ano passado. O delato Joesley arremata logo após: “Tô de bem com Eduardo”.
É no momento em que Temer assente com uma citação que, na análise dos investigadores da Lava Jato , seria um demonstração de aprovação aos pagamentos feitos em troca do atenção de Cunha:“Tem que manter isso, viu?”.