Petistas estão comemorando cedo demais: delação da JBS também atinge Lula e Dilma

Delação da JBS também atinge Lula e Dilma



A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

A explosiva delação dos proprietários da JBS parece já ter ferido de morte o governo Michel Temer, que dificilmente poderá sair desta. Considerando que a Inês já é morta, os petistas já estão se cercando do cadáver como abutres. De forma cínica, reforçam a tese do golpe apontando o dedo igualmente sujo para o ex-vice decorativo de Dilma e para o patético senador Aécio Neves - igualmente enlameado pela delação bomba. Pedem ainda eleições diretas (o que seria inconstitucional). Querem mais uma vez tomar o país de assalto. 

Talvez a comemoração esteja se dando de forma muito precipitada. A delação da JBS traz também relação com os ex-ministros petistas Antônio Palocci e Guido Mantega. Antônio é o "Italiano" e Guido o "Pós Itália" e o "Laticínio" (Mantega=mateiga=laticínio. Sim, é infame). Antônio Palocci operou de maneira zelosa para Dilma e Lula, até ser obrigado a deixar o governo acusado de corrupção. Foi quando Dilma escalou Guido para ser seu operador. Conforme contam Wesley e Joesley Batista, Palocci virou uma espécie de atravessador: era o contato entre a empresa e Lula. Consultem O Antagonista, portal responsável pela maior quantidade de furos sobre as investigações. Verão que tanto um como outro não agiam por conta própria, mas sim como representantes de Dilma e Lula. 

É evidente que para petistas e linhas auxiliares isto pouco importa. O que interessa é gritar fogo na floresta para se beneficiar do caos. Irão ignorar solenemente estas citações, tal qual fizeram quando vazou aquele áudio entre Renan Calheiros e Sérgio Machado. Até hoje citam proposta de pacto feita por Romero Jucá, ignorando a menção explícita a Lula e ao dono da Folha de São Paulo Octávio Frias Filho. Conveniência e desfaçatez, as armas preferidas da extrema-esquerda. 

No entanto não poderão ignorar um fato bastante inconveniente: até agora Palocci ainda está jogando com sua proposta de delação premiada, não havia nada formalizado até o presente instante. Porém ao ser implicado em um esquema da magnitude do que foi feito no BNDES, o algoz do caseiro Francenildo terá a certeza de que sua cana pode ser prolongada por tempo ainda mais indefinido. É uma perspectiva assustadora. Acreditem: ninguém é otário de pagar o pato sozinho enquanto o chefe é aclamado como presidente pelos fascistas de vermelho. Palocci será obrigado a delatar porque ao contrário de Lula, ninguém foi às ruas dizer que ele é inocente. Pelo contrário, os petistas parecem ter se esquecido dele para que seus gritos não incomodassem os ouvidos do líder agora envolvido em restaurar seu império. 
A imagem pode conter: 1 pessoa, texto
Aguardem: Palocci deverá formalizar o acordo de delação premiada em breve. É quando surgirão revelações ainda piores do que o que já foi dito até agora. Os mesmos sujeitos que estão em festa hoje irão se armar de paus e pedras para dizer que ele mente. Ou ainda que foi coagido a falar pelos "fascistas de Curitiba". Será uma nova fase de malabarismo retórico: dirão que Temer é culpado ao mesmo tempo em que dirão que as provas contra Lula são forjadas. Seja como for, é bom saber de antemão que eles sabem muito bem o que se passa. A gritaria fora de tom tem justamente esta intenção: mudar de assunto.

PS: O jornalista Diego Escosteguy diz que Lula não é citado apenas lateralmente por meio de Palocci, mas que Joesley disse ter tratado pessoalmente com o petista. A conferir.