Apostilas Opção

http://www.apostilasopcao.com.br/apostilas.php?afiliado=13516

Morte suspeita de detetive que acusou Aécio Neves agrava a situação

,

Morte suspeita 

O caso volta a ser tratado na imprensa após gravação envolvendo Aécio Neves




O detetive Lucas Gomes Arcanjo, afastado do serviço por licença médica, foi encontrado morto na janela de seu quarto com uma gravata enrolada no pescoço. Conhecido por fazer denúncias que associavam o senador Aécio Neves (PSDB) à lavagem de dinheiro e ao narcotráfico, o policial já havia sofrido quatro atentados, como supostas formas de retaliação. Um deles o deixou com uma seqüela na perna que o obrigou a andar com ajuda de bengala. A família não acredita em suicídio.
Lucas Arcanjo, deu um longe entrevista em 2014 na qual ele reafirmou todas as denúncias e exatamente no dia seguinte à entrevista surgiu um bombástico documento comprovando uma das denúncias que envolvia Aécio Neves.
A atriz Tássia Camargo manteve contato telefônico com a família de Lucas Arcanjo e disponibilizou um vídeo relatando a importante conversa. Tássia informou ao blog Megacidadania que a família de Lucas Arcanjo rechaça de forma veemente a possibilidade de suicídio.
“As autoridades estaduais em Minas Gerais, especialmente o Ministério Público/MG, estão na obrigação de realizar uma intensa investigação para esclarecer esta suspeitíssima morte que tem odor de queima de arquivo, ele sabia demais. Lucas Arcanjo prestou diversos depoimentos às autoridades, tanto estaduais bem como à Polícia Federal e é dever dessas autoridades divulgar para o distinto público que encaminhamentos ou desdobramentos concretos ocorreram”, afirma Alexandre Teixeira, editor do Megacidadania.
“Faz-se imperiosa a criação de uma força tarefa especial constituída por autoridades de Minas e de âmbito federal, pois só assim Aécio será convocado para prestar esclarecimentos e/ou informações, afinal, o policial Lucas Arcanjo é o segundo cadáver a rondá-lo. Ao tempo em que é dever de tod@s exigir que as denúncias por ele divulgadas – de público e em depoimentos oficiais – sejam aprofundadas para o bem da (combalida) credibilidade de nosso sistema policial/judicial, finalizamos este post enviando mensagem de pêsames aos familiares e amigos de Lucas Gomes Arcanjo um policial que engrandeceu Minas e dignificou o Brasil”, acrescentou.

Aécio acusado

Arcanjo tinha dificuldades para andar e usava muletas devido a uma sequela deixada por um dos quatro atentados que sofreu, desde 2002, como suposta retaliações às denúncias que o tornaram famoso.
Pelas redes sociais, o policial postava vídeos em que denunciava caciques tucanos de Minas Gerais com uma atenção especial ao senador Aécio Neves. De acordo com o policial, que já chegou a denunciá-lo e entregar provas na Corregedoria da Polícia Civil, o tucano estava envolvido em uma série de irregularidades que iam desde lavagem de dinheiro, desvio de recursos públicos e até associação com o narcotráfico.
(com informações de O Tempo)

magazine Luiza