Após gravação de Temer, relator suspende Reforma Trabalhista

Senador do PSDB, Ricardo Ferraço defende que prioridade do Congresso no Congresso Nacional

O discurso de aliados do presidente Michel Temer, de que as revelações da delação premiada do empresário Joesley Batista não vão comprometer o andamento das reformas econômicas, começou a ruir. No final da manhã desta quinta-feira, o relator da Reforma Trabalhista no Senado, Ricardo Ferraço (PSDB-ES), anunciou, em nota à imprensa, a suspensão da tramitação do projeto no Congresso até a conclusão da crise institucional.
“A crise institucional que estamos enfrentando é devastadora e precisamos priorizar a sua solução, para depois darmos desdobramento ao debate relacionado à reforma trabalhista”, afirmou o parlamentar. Ferraço acrescentou que “não há como desconhecer um tema complexo como o trazido pela crise institucional. Todo o resto agora é secundário.”

Projeto com fortes resistências de sindicatos e movimentos sociais, a reforma consiste em um conjunto de medidas de alteração da legislação trabalhista, centrado no privilégio das negociações entre patrões e empregados, que passariam a ter valor de lei. Ao lado da Reforma da Previdência, é uma das propostas-símbolo do governo do presidente Temer.cional é dar uma solução para a crise institucional